História cultural dos surdos é tema de artigo acadêmico

Leitura é uma boa referência para professores de história que desejam trabalhar o tema do Enem deste ano com os seus alunos.

Bruno Leal | Agência Café História  

Se você é professor de História no Ensino Básico ou simplesmente deseja saber mais sobre o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2017 (“desafios para a formação educacional dos surdos”), a leitura do artigo “História cultural dos surdos: desafio contemporâneo”, dos pesquisadores Gladis Perlin (UFRGS) e Karin Strobel (UFSC), é uma ótima dica – faça o download gratuito do artigo clicando aqui.

Linguagem de sinais
Linguagem de sinais, forma norte-americana. Foto: cilsf.org

O artigo foi publicado em 2014 na revista “Educar em Revista” (A1), do Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O artigo tem o objetivo de fazer uma história cultural dos surdos a partir de registros sobre a vida cotidiana, movimentos de resistência e dos diversos fazeres a partir da cultura. Os autores observam ainda o papel que exerce a cultura surda, permeada pela construção da identidade, pela língua de sinais, pela pedagogia surda. Conforme explicam, o artigo vai em direção dos Estudos Surdos.

Resumo do artigo

O presente artigo parte da perspectiva da história cultural em direção aos Estudos Surdos. Objetiva debruçar-se em pesquisas teóricas que possibilitem a visão sobre a história cultural a ser captada na vida cotidiana, resistências e fazeres a partir da cultura, em nosso caso, do povo surdo. Nestas pesquisas teóricas observou-se o papel que exerce a cultura surda, permeada pela construção da identidade, pela língua de sinais, pela pedagogia surda. E no contato com a história cultural notamos uma metodologia que ressalta a importância da participação dos povos surdos para sua construção. Esta história faz emergir os saberes em que entram em cena as memórias das experiências do “ser surdo”, uma visão abrangente em relação ao que ocorre com o povo surdo, especialmente os corpos amordaçados por políticas institucionais, os embates no campo do colonialismo e dos sistemas opressivos educacionais, as lutas por identidade e por significados culturais. Nestes aportes tornam-se frequentes os indícios de signos e significados subjetivantes. O desafio é construir uma nova história cultural, registrando as lutas pela identidade surda, pela construção da identidade cultural, pelo reconhecimento da língua de sinais, pela emancipação dos sujeitos surdos de todas as formas de opressão e seu livre e espontâneo desenvolvimento, bem como a pedagogia surda presente no povo surdo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*