Especial da semana

John Lewis: ícone do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos 1
Artigo

John Lewis: ícone do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos

Talvez não exista uma figura cuja vida e carreira personifique mais a promessa, o sucesso e os desafios contínuos dos direitos civis para os negros dos Estados Unidos do que John Lewis, falecido em 17 de julho de 2020. Neste artigo, lamentamos essa tremenda perda e recordamos a sua incrível história através de alguns documentos exclusivos do Arquivo Nacional dos EUA.

Notícia em destaque

MISCELÂNEA

artigos

Notícias

Quanto mais mulheres na política, menor é a mortalidade infantil 3

Quanto mais mulheres na política, menor é a mortalidade infantil

A representatividade feminina – independente do espectro de ideologia política – amplia a implementação de projetos sociais e o acesso à saúde pública. Taxa de mortalidade em crianças de até 5 anos é menor em municípios que elegeram prefeitas. A representatividade feminina – independente do espectro de ideologia política – amplia a implementação de projetos sociais e o acesso à saúde pública.

Relembre

Nossa periodicidade

Toda segunda-feira publicamos o nosso “especial da semana” (artigo, entrevista, bibliografia comentada ou história importada). E de terça a sexta, notícias sobre história. Todos os nossos colaboradores e colaboradoras são especialistas reconhecidos(as) no campo e convidados(as) pelo Café História.

Coluna

  • Eu sempre tive muita curiosidade para saber mais sobre a Hannah Arendt professora. Esta semana descobri o exame final do curso “Sobre a revolução” (titulo de um livro dela), ministrado por ela no Departamento de Ciência Política da Northwestern University, nos EUA. O documento foi compartilhado pela pesquisadora Samantha Rose Hill, do Hannah Arendt Institute for the Research on Totalitarianism.
  • O historiador Zózimo Trabuco publicou um pequeno artigo no site “Teologando na Serra”. Vale a pena a leitura. Nele, Zózimo faz uma reflexão muito interessante: do ponto de vista ideológico, o apoio evangélico mais importante ao bolsonarismo não vem dos setores pentecostais e neopentecostais, mas do calvinismo. “Pentecostais e neopentecostais podem constituir uma base de apoio importante para o bolsonarismo, mas o núcleo ideológico de defesa do projeto cristofascista se encontra no neocalvinismo à brasileira, em especial presbiterianos e batistas”, diz Trabuco, que é professor de História da UFOB e especialista na relação entre política e religião. Clique no título acima para conferir.

o nosso tradutor oficial