Evento reúne projetos e ideias em História Pública, Digital e Divulgação de História

“Radar” acontece nos dias 28 e 29 de junho de 2017 no IFCS/ UFRJ, no Rio de Janeiro. Evento é gratuito e haverá emissão de certificados.

Por Bruno Leal | Agência Café História

Acontece nos dias 28 e 29 de junho de 2017, no Salão Nobre do IFCS/UFRJ, a primeira edição do “Radar”, conferência nacional que vai reunir pesquisadores que desenvolvem projetos e ideias nos campos da História Pública, História Digital e Divulgação da História. Quem promove o evento é o Programa de Pós-Graduação em História Social (PPGHIS/UFRJ). O “Radar” é gratuito e aberto ao grande público. Para se inscrever, basta enviar nome completo para: [email protected]. Haverá emissão de certificados para os ouvintes.

As conferências estão divididas em quatro mesas, duas em cada dia de evento. O “Radar” evitou escolher nomes temáticos para as mesas – todas reúnem projetos e ideias em História Pública, Digital e Divulgação de História. Ao invés disso, a organização homenageia historiadores que contribuíram direta ou indiretamente para o desenvolvimento das áreas contempladas no evento. Serão homenageados: Manoel Salgado, professor de Teoria e Historiografia da UFRJ e da UERJ, falecido em 2010; Roy Rosenzweig, nome de destaque da História Digital, professor da George Mason University, nos Estados Unidos, falecido em 2007; Boris Fausto, professor aposentado da USP, que contribuiu ao longo da carreira com vários livros e artigos voltados para o grande público; e Robert Kelley, professor da Santa Barbara University que foi um dos pioneiros da História Pública nos anos 1970, nos Estados Unidos.

Entre os conferencistas, estão Bruno Leal, fundador do Café História; Daniel Carvalho, do podcasts Sobre História; Paulo César Gomes, do site História da Ditadura; Carolina Ferro, ex-Revista de História da Biblioteca Nacional; Alexandre Moreli, professor da Fundação Getúlio Vargas; Juniele Rabelo, professora da Universidade Federal Fluminense; Ricardo Pimenta, professor do IBICT; Julio Silveira, do projeto @Rio450; Thiago Gomide, do programa Tá na História; Roberta Cerqueira, da Revista Manguinhos, da Fiocruz; Hugo Nicolau, geógrafo da USP, do site Desigualdades Espaciais; e Angela Bittencourt, responsável pelo setor de digitalização da Fundação Biblioteca Nacional.

Confira abaixo os dias, horários, conferencistas, títulos e resumos de cada mesa:

DIA 28 DE JUNHO DE 2017
MESA MANOEL SALGADO | 14:00 – 16:00
Ricardo Pimenta IBICT/UFRJ Informação e vigilância: um novo projeto de Humanidades Digitais em curso.
Juniele Rabêlo UFF História Pública no Brasil: compartilhamentos.
Alexandre Moreli FGV Expandindo horizontes e solucionando impasses. Mineração de dados e a História das Relações Internacionais.
MESA ROY ROSENZWEIG | 16:30 – 18:30
Julio Silveira Ímã Editorial História Colaborativas. Casos @Rio365 e @Rio450.
Thiago Gomide Tá na História Jornalismo e História podem caminhar juntos?
Roberta Cerqueira Revista Manguinhos  Periódicos científicos de história e mídias sociais: a experiência da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos.
DIA 29 DE JUNHO DE 2017
MESA BORIS FAUSTO | 14:00 – 16:00
Carolina Ferro Unicarioca/RHBN A experiência da Revista de História da Biblioteca Nacional e a divulgação científica para não especialistas.
Hugo Nicolau Desigualdades Espaciais As desigualdades fizeram-se presentes: a importância de espacializar as desigualdades sociais.
Angela Bettencourt Biblioteca Nacional A Hemeroteca Digital revelando o rascunho de nossa história.
MESA ROBERT KELLEY | 16:30 – 18:30
Bruno Leal Café História  Café História: divulgação da História na internet.
Daniel Carvalho Sobre História Podcast Ensino de História e o historiador nos espaços públicos.
Paulo César Gomes História da Ditadura  História da Ditadura: entre a academia e o grande público.

Ricardo Pimenta é bolsista de Produtividade Pq-2 do CNPq; Historiador. Pesquisador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC); professor permanente do programa de pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI/IBICT-UFRJ) e líder do grupo de pesquisa Informação, Memória e Sociedade (IMeS/IBICT).

Juniele Rabêlo de Almeida é professora do Instituto de História (UFF). Doutora em História Social (USP) e mestre em História (UFMG). Pesquisadora do “Laboratório de História Oral e Imagem” (LABHOI/UFF). Coordena atividades do Programa de Iniciação à Docência em História (PIBID-Capes/UFF). Integra as comissões administrativas/científicas da Rede Brasileira de História Pública e da Associação Brasileira de História Oral.

Alexandre Moreli é coordenador do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais e professor adjunto da Escola de Ciências Sociais da FGV, onde leciona e conduz pesquisas na área da História das Relações Internacionais e da Historia Global. Possui mestrado (2007) e doutorado (2012) pela Université Paris 1 – Panthéon-Sorbonne e é um dos líderes do projeto de mineração de dados do CPDOC/FGV, que desenvolve como Jovem Cientista do Nosso Estado/FAPERJ.

Julio Silveira é editor, publicador, curador, palestrante e autor. Em 1996, fundou a Casa da Palavra, reconhecida pela inovação de temas, autores e divulgação. Afastou-se da empresa em 2008, quando ela tornou-se parte de um conglomerado internacional. Em 2009 tornou-se coordenador geral do Grupo Editorial Ediouro, encarregado de reestruturar e reposicionar selos tradicionais como Nova Fronteira e Agir. Em seguida tornou-se chefe das operações brasileiras da multinacional Thomas Nelson. Em 2011, ele abraçou as novas possibilidades para o livro trazidas pela internet e fundou a Ímã Editorial, para explorar e desenvolver ideias, produtos e modelos de negócios para a publicação digital. No mesmo ano, liderou o Fórum Autor 2.0, convidando escritores, editores e jornalistas a discutir os impactos culturais e econômicos do livro digital. Em 2012, coorganizou o ciclo FIM DO LIVRO de conversas em literatura e cultura na Região Portuária do Rio de Janeiro e assumiu a curadoria da ePorto/Fliporto, em Olinda, Pernambuco. Em seguida colaborou com o Comitê da Biblioteca Nacional que apresentou o projeto para o Ano do Brasil em Frankfurt, tomou parte no 4º Congresso Internacional do Livro Digital (São Paulo). Ao longo dos últimos anos vem pesquisando e escrevendo sobre a publicação digital em sua coluna no Publishnews, e, ocasionalmente, no New York Times, O Globo, O Tempo e outras mídias. Foi professor no MBA em Publishing da Fundação Getúlio Vargas e do Curso Mercado Editorial e Transmídia na PUC-Rio. Em 2014 representou o Brasil no 1º Congresso Internacional do Livro Digital em Pequim, China. Entre as palestras, cursos, participações e oficinas ministrados estão as Bienal do Livro de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro; a Feira do Livro de Curitiba e o Salon du Livre de Paris, a Câmara Brasileira do Livro, a Casa do Saber, a Universidade Santa Maria (RS), a Estação das Letras. Atualmente é curador do Festival Lapalê (Abril de 2015), coordenador do projeto osomdovinil.org e curador das publicações transmídia Rio365 e Rio450. Entre as colaborações em livro estão Paixão pelos livros (Casa da Palavra), LivroLivre (Ímã Editorial), O Futuro do livro (Ipsis) e Multiplicidade (Aeroplano).

Thiago Gomide é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura. Escreveu e dirigiu o documentário “O Acre em uma mesa de negociação”. Além de ser o responsável pelo conteúdo do “Tá na História”, que tem parceria com Catraca Livre e History Channel, atualmente edita e apresenta o programa “A Rede”, na Rádio Roquette Pinto (94,1 FM – RJ) e faz parte da nova gestão da MultiRio.

Roberta Cardoso Cerqueira é formada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), tem mestrado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), com ênfase em História da Psiquiatria e Literatura. É editora executiva da revista “História, Ciências, Saúde – Manguinhos”, publicação da Casa de Oswaldo Cruz (COC), unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e editora convidada do “Portal de Periódicos da Fiocruz”. Tem interesse nas seguintes áreas de pesquisa: periodismo científico, comunicação científica e acesso aberto e divulgação científica de periódicos.

Carolina Chaves Ferro é doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), professora do Centro Universitário Carioca nos cursos de Comunicação e Pedagogia; editora da “Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro” e fundadora e supervisora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Comunicação Social (NEICA/UNICARIOCA). Atualmente desenvolve pesquisa sobre como tornar a produção acadêmica acessível para todos os públicos.

Hugo Nicolau Barbosa de Gusmão é criador do site “Desigualdades Espaciais”, trabalho pioneiro no Brasil que aborda as desigualdades espaciais através de mapas raciais de pontos. A iniciativa foi reconhecida por mais de 10 matérias jornalísticas em veículos como Rádio CBN, TV Cultura, BBC, Gazeta do Povo, Global Post, The Week, entre outros. Atualmente é estudante de Geografia na FFLCH-USP e atua ministrando cursos de mapeamento com enfoque social. Em 2016, o trabalho recebeu menção honrosa no Prêmio Almerinda Farias Gama, concedido pela Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de São Paulo (SMPIR). No mesmo ano, os mapas das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador foram expostos no pavilhão brasileiro da Bienal de Arquitetura de Veneza.

Angela Monteiro Bettencourt é graduada em Biblioteconomia e Documentação pela UNIRIO, especialista em Indexação da Informação pela Universidade Santa Úrsula e mestre em Ciência da Informação pelo IBICT/UFRJ. É membro do Comitê Permanente da IFLA, Seção de Bibliotecas Nacionais e membro do Conselho Consultivo da Biblioteca Digital Mundial. Coordena a Biblioteca Nacional Digital, desde a sua criação em 2006.

Bruno Leal é professor substituto de Teoria da História no Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF); bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD), vinculado ao Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHIS/ UFRJ). É doutor em História Social pela UFRJ (2015), mestre em Memória Social pela UNIRIO (2009), pós-graduado em História Contemporânea pela PUCRS (2010), graduado em História pela UFRJ (2006) e em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela UFRJ (2006). É fundador e editor do portal Café História, além de cocoordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos e Árabes da UFRJ (NIEJ). É membro da Rede Brasileira de História Pública e da Associação das Humanidades Digitais. Tem interesse em divulgação de História, História Pública, História Digital, Holocausto e crimes de guerra, campos nos quais possui diversos artigos publicados.

Daniel Carvalho é Professor da Educação Básica no Rio de Janeiro. Mestre em Ensino de História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Produtor do “Sobre História Podcast”.

Paulo César Gomes é historiador, doutorando em História pela UFRJ, com período de estágio no Institut des Hautes Études de l’Amérique Latine (Universidade Paris 3). É autor do livro “Os bispos católicos e a ditadura militar brasileira: a visão da espionagem” (Record, 2014). Foi pesquisador da Comissão Nacional da Verdade. Atualmente, investiga as relações entre o Brasil e a França ao longo da ditadura.

1 Trackback / Pingback

  1. Radar | Café História

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*