Entrevista

A ditadura militar na ficção contemporânea brasileira: entrevista com Berttoni Licarião

14 de outubro de 2019 0

“Como muito bem sintetizou Roland Barthes, a ficção ‘não diz que sabe alguma coisa, mas que sabe de alguma coisa’. Com a literatura podemos aprender a perceber o outro, não com a cientificidade que dedicamos a um objeto de estudo, mas como desejo de alteridade que renova o mundo e humaniza as diferenças”. Confira a entrevista exclusiva do Café História agora mesmo.

Cena do filme "Nada de novo no front", de 1930.
Artigo

‘Nada de novo no front’: 90 anos de um clássico

4 de março de 2019 2

O livro “Nada de novo no front”, de Erich M. Remarque, acaba de completar 90 anos. Lançada pela primeira vez em alemão, em janeiro de 1929, a obra (Im Westen nichts Neues, no original) vendeu um milhão de cópias em menos de um ano na Alemanha, e mais outro milhão no exterior. O sucesso foi tanto que o livro foi adaptado para o cinema um ano depois pela Universal Pictures, com um orçamento enorme para a época, um recorde de US$ 40.000. O filme venceu quatro prêmios Oscar na edição de 1931: melhor filme, melhor diretor, melhor fotografia e melhor roteiro.