Reforma revela que lápides judaicas foram usadas para pavimentar calçadas em Praga

Descoberta confirma que regime comunista destruiu sinagogas e cemitérios judaicos para fazer material de construção.

Bruno Leal | Agência Café História 

Durante um bom tempo foi apenas um boato, mas o início de uma série de reformas públicas em Praga, na República Tcheca, agora confirmam: lápides judaicas oriundas de sinagogas e cemitérios foram realmente usadas pelo regime comunista nos anos 1980 para pavimentar calçadas no distrito turístico da cidade.

A descoberta foi feita no início de maio durante a primeira etapa de um amplo projeto de reforma urbana de Praga, que começou com a revitalização da praça Wenceslas, marco da cidade, cenário de alguns dos eventos históricos mais dramáticos do país e local frequente de protestos políticos.

Lápides judaicas se transformaram paralelepípedos em Praga
Lápides judaicas se transformaram paralelepípedos em Praga. Foto: Comunidade judaica de Praga no Facebook.

De acordo com o correspondente do jornal inglês “The Guardian“ em Praga, Robert Tait, “o rabino Chaim Kočí, alto funcionário do rabinato de Praga, testemunhou trabalhadores desenterrando paralelepípedos cujas partes inferiores revelavam letras hebraicas, a estrela de Davi e datas falecidas. Outras pedras estavam em branco, mas tinham superfícies polidas que indicavam que também haviam sido retiradas de cemitérios.”

As pedras foram retiradas de cemitérios diferentes. Não é possível identificar os nomes dos mortos porque as lápides foram quebradas em pequenas partes para formar os paralelepípedos. Uma pessoa, por exemplo, conforme sublinha o jornal britânico, parece ter morrido em 1877, quando Praga fazia parte do império dos Habsburgos, enquanto outra faleceu nos anos 1970, durante auge do comunismo no país.

O regime comunista de Praga, iniciado em 1960 e que só terminou em 1989, foi marcado por uma forte aversão às comunidades religiosas do país, tanto as judaicas quanto as não-judaicas. Essa hostilidade deixou templos religiosos suscetíveis a saques e outros tipos de depredação, inclusive por parte do governo. 

Lápides judaicas se transformaram paralelepípedos em Praga
Detalhes das antigas lápides judaicas. Foto: Comunidade judaica de Praga no Facebook.

František Bányai, presidente da comunidade judaica de Praga, disse ao “The Guardian“ que “mais sinagogas judaicas foram destruídas na atual República Tcheca durante os tempos comunistas do que sob os nazistas”. Ele também explica que “o anti-judaísmo era uma política oficial e que todos os comitês judaicos eram supervisionados e gerenciados pela polícia secreta. Ser judeu era negativo de qualquer ponto de vista – mas o mesmo também se dava para a igreja cristã.”

Memorial 

A comunidade judaica de Praga entrou em acordo com a prefeitura da cidade e todo o material passa agora a ser considerado propriedade da comunidade judaica local, que tem planos para construir um memorial no antigo cemitério judeu de Praga, no distrito de Žižkov, parte do qual foi profanado durante a era comunista para construir um parque público e, posteriormente, uma enorme torre de televisão .

Com informações do The Guardian e do site Expats

Como citar esta notícia 

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Reforma revela que lápides judaicas foram usadas para pavimentar calçadas em Praga (Notícia). In: Café História – história feita com cliques. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/lapides-judaicas-usadas-nas-ruas-de-praga/. Publicado em: 1 mai. 2020. ISSN: 2674-5917. Acesso: [informar a data].

8 Comentário

  1. Boa Noite!

    Li a matéria e achei interessante! Mas me ficou uma dúvida sobre o Título “Regime Comunista destruiu Sinagogas e Cemitérios Judaicos. Tudo bem que é uma fonte histórica e fundamentada na arqueologia. Isto ninguém discute. Mas o que m chamou a atenção foi “Regime Comunista”.
    Ora! Quantas coisas erradas acontecem em países capitalistas e ninguém coloca dessa forma “Regime Capitalista” perseguiu milhões de judeus. “Espanha Capitalista ou Mercantilista expulsou os judeus em 1492”.
    è uma observação que faço aos historiadores para que os mesmos não cometem injustiça ao taxar ou rotular regimes de governos. Pois ao meu ver todo os regimes podem ter erros e acertos. Então é demasiadamente perigoso para o historiador tomar partido.
    Vejam a questão da Monarquia e da República, a maioria dos historiadores deificam a república e demonizam a monarquia. Mas será que isso é correto? Pensem no assunto e vamos em frente.

    • Oi, Dinarte. Tudo bem? Obrigado pelo comentário. O título da notícia é outra:
      “Reforma revela que lápides judaicas foram usadas para pavimentar calçadas em Praga”.

      Mas, olha, ninguém está “tachando”. Não acho que seja essa a questão. O regime comunista na antiga Checoslováquia foi a responsável por isso. Apontar isso não quer dizer que o regime capitalista é isento de problemas. Na verdade, é curioso, pois quando publicamos algo sobre capitalismo ou liberalismo, recebemos críticas iguais, mas no sentido oposto: “por que não falamos dos regimes comunistas”. Talvez o termo “regime comunista” seja mais usado do que “regime capitalista”, porque o primeiro é um regime mais rara do que o segundo no sistema mundo.

      Abraço!

      • Adorei sua resposta ,as pessoas devereriam pensar mais antes de escrever ,se informar pra daí tentar questionar uma reportagem de grande veracidade como esta,ora se foi regime comunista tem que mostrar mesmo ,valeu um abraço

  2. Na cidade dos meus avôs maternos na Polônia, perto de Lublin / cidade de I. B. Singer – as lápides de um cemitério de 200 anos forraram os tetos das casas dos polacos.

  3. Os regimes comunistas teem uma doutrina ateìsta,e esta açao è um ato provocatörio deliberado para comprovar a acao de deixar os judeus sob a sua alcada nas maos do regime nazi durante a Guerra Mundial.
    O poder mais procurado è ter os nossos inimigos sob os nossos pès,ora,neste caso este regime faz-lo a titulo postumo e de forma a que todos o possam fazer,quer queiram quer nao.
    Os cemiterios sao o ultimo repouso dos mortos,lugar onde eles nao se podem mais defender de atos cobardes como este.
    Lugar onde se espera que os homens,sejam ou nao crentes,respeitem todos os que lä estao,porque outro lugar nao hä para enterrar mortos,entao os vivos que respeitem os cemitèrios,a nossa ültima morada,porque quer se entenda ou nao, è sagrada,e sendo sagrada a sua profanaçao è uma violaçao.

    • De fato, os regimes comunistas, sempre perseguiram toda e qualquer forma de expressão religiosa, fazendo o preconício de que “a religião é o ópio do povo” (sentença mal-interpretada de Marx. Na época, século XIX, o uso do ópio era recomendado por médicos. Uma comparação possível seria dizer que “a religião é a aspirina do povo”. Quem, em sã consciência, proibiria o ácido acetil-salicílico? Um cemitério é um local sagrado e sua profanação deveria ser severamente criminalizada. De recordar que atos de vandalismo são frequentes em vários regimes autoritários. Na China a perseguição às minorias étnicas amiúde se confunde com a perseguição religiosa: os uigures muçulmanos, os tibetanos lamaístas são os principais alvos. Na Índia a minoria muçulmana é fortemente reprimida. Os baha’is no Irã sofrem ataques dos bassijis (a guarda islâmica da moral). Em Brunei Darussalam, Uzbequistão, Arábia Saudita, é proibido entrar com livros religiosos não-islâmicos. No Brasil, os cultos de matriz afro foram proibidos até a década de 50, e o preconceito aumentou recentemente.

  4. Na verdade, o fato histórico demonstra que estamos diante de um exemplo da prática da “sionologia” – o antissemitismo de esquerda.

    A sionologia foi criada pela propaganda política soviética durante a Guerra Fria e ainda sobrevive na imaginação de grande parte da esquerda mundial. Há um artigo bem interessante a respeito na Wikipedia e cujo link transcrevo abaixo.

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Sionologia

  5. Dizer como o rabino do artigo diz que o “regime comunista” destruiu mais sinagogas do que os nazistas é mau caratismo ou mentira deslavada.Os nazistas matavam pessoas,destruíam cemitérios judaicos,roubavam seus bens,os enviavam para fornos crematórios.A comunidade judaica tcheca foi destruída na época.Então este rabino é um grande cretino ou um fascista enrustido.Qual a origem destas pedras? Poderiam ser as mesmas que os alemães usaram para pavimentar as estradas? Cuidado,anti-comunistas,quando compram informações sem nexo.Por falar nisso, seguidamente roubam os vasos de cobre que coloco no túmulo de meus pais aqui num cemitério privado de Porto Alegre.A quem devo culpar?

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*