Historiador fala sobre relação entre calvinismo brasileiro e bolsonarismo

Historiador fala sobre relação entre calvinismo brasileiro e bolsonarismo 1

História colaborativa 

Judith Miller, professora do Departamento de História da Universidade de Emory, nos Estados Unidos, desenvolveu um documento colaborativo no Google Docs bem interessante. Nele, a pesquisadora, com a ajuda de outros pesquisadores, estudantes e professores, está reunindo boas iniciativas e projetos de história na internet: aulas on-line, plataformas, sites, blogs, acervos e atividades. O arquivo, que já tem muita coisa boa e não para de crescer, pode ser usado tanto por historiadores quanto por quem não é da área. Ótima pedida em tempos de pandemia. Se você sabe um pouquinho de inglês, não deixa de conferir.

Napoleão em Santa Helena 

Em julho de 1815, Napoleão foi capturado pelos britânicos e enviado para ser preso na ilha de Santa Helena, onde passaria o restante de sua vida. A “Lei de Santa Helena” foi aprovada no ano seguinte. Ela regulava a comunicação com a ilha e quem foi autorizado a entrar na ilha enquanto Napoleão estava detido lá.

Mais divulgação científica 

No dia 16 de julho, participei, convidado pela Associação Nacional de História, do debate “Divulgação Cientifica e Direito à História”. Além de mim, também participaram papo a historiadora Cristina Meneguello e (UNICAMP) e Benito Bisso Schmidt (UFRGS). Se você não pôde acompanhar o debate ao vivo, ele está disponível na íntegra aqui.

Calvinismo e conservadorismo

O historiador Zózimo Trabuco publicou um pequeno artigo no site “Teologando na Serra”. Vale a pena a leitura. Nele, Zózimo faz uma reflexão muito interessante: do ponto de vista ideológico, o apoio evangélico mais importante ao bolsonarismo não vem dos setores pentecostais e neopentecostais, mas do calvinismo. “Pentecostais e neopentecostais podem constituir uma base de apoio importante para o bolsonarismo, mas o núcleo ideológico de defesa do projeto cristofascista se encontra no neocalvinismo à brasileira, em especial presbiterianos e batistas”, diz Trabuco, que é professor de História da UFOB e especialista na relação entre política e religião.

“Notas de Rodapé” é a coluna de Bruno Leal, editor do Café História. Aqui você encontra notícias curtas, informações sobre eventos, dicas de livros, reflexões sobre a presença da história no tempo presente, sugestões de filmes, pensamentos sobre o ofício do historiador e muitas outras coisas legais que esse divulgador científico for encontrando pelo meio do caminho. Tem alguma pauta? Escreva para a coluna.

Leia outras edições do Notas de Rodapé

5 Comentário

  1. Nota muito interessante sobre Calvinismo e o conservadorismo, tema atual e importante para traçar os panoramas das próximas eleições.

  2. Um indivíduo interessante para objeto de estudo da orientação autoritária de parte da Igreja Prebesteriana durante a Ditadura é o educador e teólogo Rubem Alves que era pastor, formado no seminário prebesteriano, e foi perseguido pela ditadura com anuência da liderança prebesteriana da época. Rubem Alves deixou de se pastor por um tempo e fugiu para os Estados Unidos.

  3. Olá prof Bruno Leal, acompanho o Café História e sou muito grato pelas postagens. Estou pesquisando no mestrado o impacto do revisionismo histórico, no seu aspecto negacionista, no ensino de história.Já encontreii muito materiais em revistas e sites que não são especializadas em história. Você poderia sugerir teóricos que tem trabalhado com esse tema? Grato. Um grande abraço

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*