Use máscara e salve sua vida: a pandemia de gripe de 1918 nos Estados Unidos

No mundo, estima-se que 500 milhões de pessoas podem ter sido infectadas com o vírus em algum momento da pandemia; apenas nos Estados Unidos foram registrados 675.000 óbitos.

Por Megan Huang 

A pandemia de gripe de 1918 foi uma pandemia no sentido pleno do termo, afetando não só os grandes centros populacionais do mundo, mas também comunidade pequeninas e remotas, desde aquelas localizadas nas Ilhas do Pacífico até os inuítes (comunidades nativas esquimós) do extremo norte da América.

No mundo, estima-se que 500 milhões de pessoas podem ter sido infectadas com o vírus em algum momento da pandemia; apenas nos Estados Unidos foram registrados 675.000 óbitos. Globalmente, mais pessoas foram mortas pela gripe do que na Primeira Guerra Mundial, um conflito global e simultâneo que durou o dobro de tempo da pandemia.

Limpador de rua usando a mascara da gripe, 1918.
Limpador de rua usando máscara , 1918. Fonte: National Archives, Id: 45499357.

A Primeira Guerra Mundial, no entanto, contribuiu para a rápida disseminação da doença. Situações de aglomeração típicas de guerra e os movimentos de tropas através do Atlântico e nas zonas de combate acabaram por levar a doença para praticamente o mundo todo.

A gripe apareceu pela primeira vez nos Estados Unidos na primavera de 1918, mas seus efeitos foram relativamente leves, não muito mais severos do que uma gripe sazonal. O ataque mais letal da doença só ocorreria no outono daquele ano – estima-se que a doença tenha provocado entre 20 e 100 milhões mortes no mundo, a maior parte entre outubro e novembro.

Embora a medicina tenha feito grandes progressos desde o final do século XIX, como a descoberta da teoria dos germes, médicos e cientistas em 1918 pareciam ter sido impotentes contra a gripe, devido, principalmente, à natureza mutante do vírus. As respostas da ciência, em vez disso, concentraram-se em conter sua propagação. Um dos conselhos mais promovidos pela comunidade médica era usar uma máscara.

A escala da doença criou pânico em massa. Igrejas e escolas foram fechadas, enquanto empresas e serviços locais que permaneceram abertos enfrentavam falta de pessoal. Com medo de sair em público, as pessoas se isolaram em suas casas, deixando as ruas quase vazias.

Trabalhadoras da Cruz Vermelha de Boston, Massachusetts, removendo pacotes de máscaras para soldados americanos, 1918.
Trabalhadoras da Cruz Vermelha de Boston, Massachusetts, removendo pacotes de máscaras para soldados americanos, 1918. Fonte: National Archives Id: 45499363.

Um estudante de medicina na Filadélfia, cidade normalmente bastante movimentada, lembrou, depois de dirigir 20 quilômetros sem passar por um único carro, que “a vida da cidade quase parou”.

O isolamento severo, contudo, foi lamentado por uma estressada comunidade médica. O chefe de um hospital de emergência na Filadélfia ficou frustrado quando seus pedidos desesperados por mais voluntários ficaram sem resposta: “Em algumas famílias, as crianças estão realmente morrendo de fome porque não há ninguém para lhes dar comida. A taxa de mortalidade é altíssima e mesmo assim ninguém se mexe”, disse ele.

Entre os que ficaram em casa estavam os construtores de navios essenciais para o esforço de guerra. Na LH Shattuck Co., em New Hampshire, por exemplo, apenas 54% dos trabalhadores apareceram, enquanto que na Groton Iron Works, de Connecticut, esse número foi ainda menor: 41%.

Posto da Cruz Vermelha em Washington, DC. fonte: National Archives, ID: 20802392.
Posto da Cruz Vermelha em Washington, DC. fonte: National Archives, ID: 20802392.
Use máscara e salve sua vida: a pandemia de gripe de 1918 nos Estados Unidos 1
Máscaras foram distribuídas para policiais de todas as delegacias de Nova York. Fonte: National Archives, ID: 4599301.

Homens que ainda estavam lutando no front e futuros soldados também foram afetados. Um dos aspectos mais alarmantes da gripe de 1918 foi sua propensão a atingir jovens adultos previamente saudáveis. Os surtos anteriores de gripe mataram mais idosos e muito jovens, mas a cepa de 1918 afetou mais duramente aqueles que estavam no auge da vida, isto é, pessoas que poderiam estar no campo de batalha se não fosse a doença.

A terceira onda do vírus começou no início de 1919 e durou toda a estação da primavera. Embora ela não tenha sido tão devastadora quanto a onda do outono, ainda deixou muita gente doente e um número significativo de mortos. O surto finalmente terminou no verão de 1919. Atualmente, os cientistas sabem que a doença foi causado por um vírus H1N1, que continuou sendo um vírus sazonal pelos 38 anos seguintes. [1]

Notas

[1] Para saber mais sobre a Gripe de 1918, visite a exposição on-line do National Archives sobre a pandemia e seu impacto nos Estados Unidos.

Como citar este artigo

HUANG, Megan. Use máscara e salve sua vida: a pandemia de gripe de 1918 nos Estados Unidos. In: Café História – História feita com cliques. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/use-mascara-e-salve-sua-vida-gripe-de-1918/. Publicado em: 13 jul. 2020. ISSN: 2674-5917. Tradução de Bruno Leal. Original: “Wear a Mask and Save Your Life: the 1918 Flu Pandemic”, publicado originamente no blog “Pieces of History”, do National Archives.

4 Comentário

  1. Impressionante como cerca de um século atrás, as pessoas tinham mais consciência da importância do isolamento e do uso de mascaras em época de pandemia . Percebe-se hoje, um retrocesso humano.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*