/

Saskatchewan do Canadá e as dificuldades de definir uma nação

No início do mês passado, o primeiro-ministro de Saskatchewan Scott Moe declarou que queria que a província canadense se tornasse “uma nação dentro de uma nação”, exigindo que Saskatchewan ganhasse mais autonomia em áreas políticas, incluindo tributação e imigração. No entanto, escreve Adam Stokes, definir uma nação é uma tarefa difícil, e o exemplo de Saskatchewan mostra as razões.

Área de fronteitra. Fonte: Jimmy Emerson, Flickr.

O recente caso de Saskatchewan, uma das dez províncias do Canadá, no centro oeste do país, sublinha uma questão aparentemente simples, para a qual não há uma resposta simples: o que constitui uma nação? O debate sobre o que torna uma nação é diferente do debate sobre se uma nação deve ter total independência política. A Catalunha e a Escócia são bons exemplos disso. O Partido Saskatchewan, do primeiro-ministro Scott Moe, por outro lado, é um partido regionalista. Ele promete “manter Saskatchewan forte”, mas não é a favor da independência total.

Sem definição única

Não existe uma definição única de “nação”. Isso levanta uma dificuldade porque significa que, quando avaliamos a reivindicação de nacionalidade de uma região, todas as conclusões são subjetivas. Dito isso, vários estudiosos tentaram definir o que constitui uma nação. O filósofo francês Ernest Renan, por exemplo, argumentou no século XIX: “Uma nação é uma alma, um princípio espiritual. Duas coisas … constituem esta alma … Uma é a posse em comum de um rico legado de memórias; a outra é o consentimento presente, o desejo de viver juntos, o desejo de continuar a investir no patrimônio que recebemos juntos.”

O que é interessante sobre a definição de Renan é que ela inclui dois elementos distintos. Juntos, eles criam o conceito de uma nação. O primeiro elemento é uma história nacional comum; a segunda, uma vontade presente do povo de continuar a ser uma nação. Mas, embora essas características sejam interessantes, o problema da subjetividade permanece.

Diferentes interpretações … diferentes conclusões

Ao determinar o que é uma história nacional comum, diferentes interpretações da história podem levar a várias conclusões sobre quais grupos específicos experimentaram o suficiente de uma história comum para serem considerados uma única nação e quais não. No que diz respeito à vontade do povo de ser uma nação, temos uma característica que deveria, em tese, ser menos subjetiva. Por meio de pesquisas de opinião ou referendos, é possível determinar se um grupo de pessoas se considera uma nação. No entanto, mesmo isso tem algumas limitações. Para alguns, não há garantia de que tal discussão levaria a uma conclusão clara. Isso é especialmente verdadeiro se houver forte desacordo entre aqueles que pensam que fazem parte de uma nação específica e aqueles que não o fazem.

A cultura também é um elemento importante da nacionalidade. Isso pode incluir símbolos nacionais, como uma bandeira, emblemas naturais ou um idioma. A linguagem, em particular, é um elemento-chave do discurso nacional em muitas nações apátridas; pense, por exemplo, no caso do País Basco. No entanto, mesmo a linguagem como um símbolo nacional tem suas limitações. Existem exemplos de nações reconhecidas que têm duas ou mais línguas faladas. Na Bélgica, por exemplo, há claras divisões linguísticas entre as comunidades de língua holandesa e francesa.

O caso de Saskatchewan

Olhando para Saskatchewan, as questões em torno da subjetividade daquilo que torna uma nação são claras. Já observamos que o premiê de Saskatchewan acredita que Saskatchewan deve ser reconhecido como uma nação dentro do Canadá. No entanto, a subjetividade nos impede de determinar definitivamente se Saskatchewan tem uma história ou cultura distinta o suficiente para ser uma nação por direito próprio.

Em termos de história, Saskatchewan nunca foi uma nação independente. Na verdade, ela só é uma província canadense desde 1905, tendo feito anteriormente parte dos Territórios do Noroeste. Nem Saskatchewan tem uma linguagem distinta. A maioria da população de Saskatchewan fala inglês, algo que compartilha com todas as outras províncias canadenses, exceto Quebec

Saskatchewan, entretanto, possui símbolos culturais distintos. Isso inclui emblemas naturais, como o veado de cauda branca e Saskatoon Berry, e sua própria bandeira. Identidade em Saskatchewan é complexo porque a província é o lar de diversos grupos de povos indígenas, cada um com suas próprias culturas e línguas distintas. Existem atualmente 70 comunidades de Primeiras Nações reconhecidas em Saskatchewan, que pertencem a cinco grupos linguísticos. Curiosamente, o lema oficial de Saskatchewan, From Many Peoples Strength, faz referência a essa herança multicultural. De acordo com o Conselho Multicultural de Saskatchewan, o lema “expressa a herança multicultural de Saskatchewan, a contribuição das Primeiras Nações e culturas Métis, e o papel fundamental da imigração na província.”

Uma identidade Saskatchewan distinta?

Dada a natureza subjetiva de determinar se Saskatchewan tem cultura ou história distinta o suficiente para ser uma nação, pode-se argumentar que as opiniões de seu povo então se tornam ainda mais significativas. O Partido Saskatchewan teve um sucesso considerável nas recentes eleições regionais. Podemos interpretar isso como evidência de uma identidade distinta de Saskatchewan dentro da província. O partido ganhou todas as eleições para a Assembleia Legislativa de Saskatchewan desde 2007, a mais recente em outubro do ano passado.

Saskatchewan do Canadá e as dificuldades de definir uma nação 1
Parlamento de Saskatchewan, Regina. Fonte: Pixabay.

Uma maneira óbvia de determinar se o povo de Saskatchewan deseja ser uma nação seria realizar um referendo sobre o assunto. O Canadá não é estranho aos referendos sobre questões constitucionais. Quebec, por exemplo, realizou duas, sobre a questão de sua soberania, em 1980 e 1995. Até agora, porém, o Premier Moe não indicou que qualquer referendo está em jogo.

A próxima eleição para a Assembleia Legislativa de Saskatchewan não deve ocorrer até 2024. Será interessante, portanto, ver onde o Premier Moe e o Partido Saskatchewan abordarão esta questão a seguir. Independentemente disso, está claro que o debate subjetivo sobre o que faz uma nação significar a conversa em torno da reivindicação de Saskatchewan à nacionalidade continuará por algum tempo.

Como citar este artigo

STOKES, Adam. Saskatchewan do Canadá e as dificuldades de definir uma nação. In: Café História. Tradução de Bruno Leal Pastor de Carvalho. Original em The Loop. Publicado em 27 dez. de 2021. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/saskatchewan-de-finir-uma-nacao/. ISSN: 2674-5917.

Adam Stokes

Doutorando da University of Reading. Suas pesquisas incluem nacionalismo e secessionismo. O título provisório de sua tese é "Explorando a Variância Ideológica Esquerda-Direita dos Partidos da Independência Nacional no Canadá e na Europa Ocidental".

Deixe um comentário

Your email address will not be published.