Excepcionalismo norte-americano

O excepcionalismo norte-americano baseia-se na ideia de que os Estados Unidos são excepcionais no globo por causa de sua história, seu regime de governo, supostamente mais democrático do que em outros lugares do mundo, e seu compromisso com a “liberdade”. Sob essa perspectiva, se vê a história do país como uma sequência de acontecimentos predestinados e ímpares, assim como se justifica a repressão/negação de tudo que não contribua para essa visão positiva da nação.

Bruno Leal

Fundador e editor do Café História. É professor adjunto de História Contemporânea do Departamento de História da Universidade de Brasília (UnB). Doutor em História Social. Tem pós-doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisa História Pública, História Digital e Divulgação Científica. Também desenvolve pesquisas sobre crimes nazistas e justiça no pós-guerra.