A representação do passado no cinema

Novo episódio do História FM discute como pensar as representações do passado na linguagem cinematográfica.

Por Icles Rodrigues | Agência Café História

Há muito se discute dentro da área de História e Cinema que um filme com temática não é um retrato do passado, mas uma representação. Diz-se também que um filme fala muito mais sobre questões do presente do que sobre o passado que busca representar, haja vista que na obra cinematográfica há não apenas texto, mas subtexto, e estes carregam olhares contemporâneos. Além disso, esse debate aponta que o entendimento da veracidade ou não das representações é uma parte importante para a compreensão do subtexto e das intenções de quem produz um filme, haja vista que nem toda representação equivocada do passado é fruto de meros erros e desconhecimento: muitas vezes o erro é intencional e busca um objetivo específico.

A representação do passado no cinema 1

Por conta disso, o Podcast História FM, parceiro do Café História, resolveu debater sobre os erros históricos de um conhecido filme de 2001: “Círculo de Fogo”. No episódio, Icles Rodrigues e seus convidados discutem como o filme extrapola eventos ocorridos no front europeu oriental durante a Segunda Guerra Mundial, a ponto de perpetuar preconceitos políticos e ideológicos que ainda hoje são tomados como fatos inquestionáveis, em grande parte por conta de representações como o filme em questão.

Para saber as novidades do podcast, basta seguir o perfil @historiaFM no Twitter.

Escute esse e outros episódios nos seguintes lugares:

Spotify: http://bit.ly/HFMspotify

Apple: http://bit.ly/HFMapple

Deezer: http://bit.ly/HFMdeezer

Castbox: http://bit.ly/HFMcastbox

Pocket casts: https://pca.st/86lb

Google Podcasts: http://bit.ly/hstfmGP

Como citar esta notícia

RODRIGUES, Icles. A representação do passado no cinema (notícia). In: Café História – História feita com cliques. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/passado-cinema-historia. Publicado em: 27 fev. 2020.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*