Seleção para o primeiro mestrado em história pública do país já tem data

Universidade Estadual do Paraná será a primeira instituição de ensino superior no país a oferecer este tipo de mestrado. Inscrições vão até o dia 25 de fevereiro.

Bruno Leal | Agência Café História

O Programa de Pós-Graduação em História Pública (PPGHP) da Universidade Estadual do Paraná, campus de Campo Mourão, está prestes a começar o seu primeiro processo seletivo de mestrado acadêmico. Há duas linhas de pesquisa: “Saberes e Linguagens” e “Memórias e Espaços”, cada uma com seis professores permanentes e dois colaboradores.

A grade curricular é composta por três disciplinas obrigatórias (História Pública e Teorias da História, Projeto Integrador em História Pública e Seminário de Pesquisa) e 26 disciplinas eletivas, distribuídas igualmente entre as duas linhas de pesquisa. É a primeira vez que uma instituição de ensino superior oferece um mestrado em história pública.

As inscrições devem ser feitas pela internet, na página do Programa, entre os dias 28 de janeiro e 25 de fevereiro de 2019, mediante o preenchimento de todos os campos, inserção online dos documentos solicitados e cópia do comprovante de pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 150,00 – o cronograma completo pode ser visto aqui.

mestrado em historia publica
Fábio André Hahn, coordenador do PPGHP/UNESPAR. Mestrado em História Pública é novidade. Foto: acervo pessoal.

Poderão inscrever-se graduados em História ou áreas afins. Para a turma de 2019 são ofertadas 10 vagas para brasileiros e 02 vagas para candidatos estrangeiros. O edital de homologação das inscrições será publicado a partir do dia 15 de fevereiro de 2019.

Coordenador do novo mestrado em história pública

Fábio André Hahn, coordenador do PPGHP/UNESPAR, conversou com o Café História sobre a importância de um mestrado em história pública no Brasil:

– O interesse por história é crescente. Muitos grupos sociais têm se voltado ao passado para compreender ou ressignificar o seu próprio presente. Historiadores mundo afora entenderam essa demanda e têm desenvolvido pesquisas específicas sobre como as experiências e narrativas históricas foram, são ou podem ser apropriadas por diferentes audiências. Nos EUA e em alguns países europeus, por exemplo, os estudos em história pública vêm ganhado espaço e importância desde a década de 1970. No Brasil, os debates ainda são recentes, porém, muito promissores. Em um contexto marcado pela inovação tecnológica, reconfiguração política, ampliação das formas de comunicação e com demandas socioculturais singulares e heterogêneas, recorrer ao passado é, com frequência, o ponto de partida de novos debates sociais e de novas questões acerca do tempo atual. Por isso, ter um Programa de Mestrado que se volta precisamente para questões que envolvem a relação, ainda pouco conhecida, entre história e o público não especializado é uma grande oportunidade para se compreender melhor quais os papeis da história e do historiador na sociedade na qual estamos inseridos.

Hahn também relevou suas expectativas quanto ao início do trabalho:

– As expectativas com o início das atividades do programa são boas. Temos percebido o interesse pela história pública se ampliando e esperamos contribuir com o debate já existente e que tende a crescer no Brasil, assim como nos países latino-americanos em que estas discussões ainda são bastante tímidas.

O que é História Pública?

A História Pública surgiu em meados dos anos 1970, nos Estados Unidos, e em seguida difundiu-se por outros países de língua inglesa: Canadá, Austrália, Grã-Bretanha, entre outros. No Brasil, a História Pública começa a se tornar conhecida em 2010, quando a Universidade de São Paulo (USP) ofereceu o primeiro Curso de Introdução à História Pública. No ano seguinte, o curso virou livro e, em 2012, a USP realizou o 1ª Conferência Anual de História Pública. Desde então, foram lançados mais três livros sobre o tema e realizados mais três conferências internacionais no país. 

Fazer história pública significa difundir o conhecimento histórico para amplas audiências, por meio de diversas linguagens e contando com a participação, direta ou indireta, dessas audiências. O historiador público deve estar apto a mobilizar o rigor metodológico para se comunicar com o grande público, sendo capaz de atuar em diversos espaços sociais, para além da escola e da universidade. A História Pública é um campo interdisciplinar e pode ser feita em arquivos, centros de memória, museus, programas televisivos, programas de rádios, editoras, imprensa, organizações governamentais e não governamentais, blogs, consultoria, curadoria, aplicativos, entre outros espaços.

Quer saber mais? Confira aqui nossa bibliografia comentada sobre história pública.


Como citar esta notícia

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Seleção para o primeiro mestrado em história pública do país já tem data (notícia).  In: Café História – história feita com cliques. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/mestrado-historia-publica-2019/. Publicado em: 23 jan. 2019.

3 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*