Plataformas de Fóruns, como o Reedit, na imagem acima, mostram que o gênero ainda tem muito fôlego. Foto: Bruno Leal.

Fóruns de história na Internet: cuidados e possibilidades

É possível encontrar bons conteúdos de história em fóruns de discussão na Internet, e até mesmo aprender com eles, mas é preciso ter alguns cuidados.

Começar
16 mins

Quando pensamos na Internet e nos nossos hábitos digitais, é comum que aquilo que primeiro nos venha à cabeça sejam os sites em que passamos mais tempo navegando: geralmente, redes sociais, como Instagram, Twitter, Facebook, ou portais de notícias que acessamos para acompanhar os acontecimentos do dia. Raramente os fóruns de discussão são os grandes protagonistas de nossa vida na rede.

Apesar de nem sempre assumir esse protagonismo, é interessante notar como, entra ano e sai ano, os fóruns continuam presentes no cotidiano digital. Às vezes, porque estamos jogando um jogo de videogame e desejamos discutir nossos desafios com outros jogadores. Talvez, porque apareceu uma mensagem de erro em nosso computador e queremos saber como resolvê-lo. E quem sabe, porque gostaríamos de discutir assuntos ligados ao passado com outras pessoas que também adoram falar sobre história.

Fóruns de história na Internet podem ser usados por diversos perfis de usuário: estudantes em busca de material de estudo, historiadores amadores, memorialistas, cidadãos em busca de informações relevantes, aficionados por guerras e períodos históricos, colecionadores e todo tipo de curiosos. Em suma, esses espaços são interessantes não apenas para historiadoras e historiadores, mas principalmente para quem é apaixonado por história e quer aprender um pouco mais sobre um assunto. Mas fica a dúvida: podemos confiar nesses fóruns? Quais seriam os cuidados que deveríamos ter ao procurar pela história nos fóruns e que possibilidades eles oferecem?

Boas práticas de navegação em fóruns sobre história

A primeira coisa que precisamos ter em mente é que nem todos os participantes de um fórum de história são historiadores profissionais, isto é, pessoas com formação universitária na área. Qualquer um pode participar de um fórum. Em muitos casos não é preciso nem ao menos de um perfil real. O usuário pode criar um perfil fake ou atuar de forma anônima. A maioria das plataformas de fórum permite esse tipo de coisa. Então, é preciso tomar muito cuidado com os conteúdos que são publicados nesses espaços. Eles podem conter imprecisões, erros factuais, desinformação, negacionismos e manobras maliciosas. Uma boa prática é questionar a origem e a autenticidade das fontes que são mencionadas para justificar os argumentos. Para isso, é necessário se atentar aos links que são anexados na discussão, verificando sua veracidade e credibilidade. O historiador Sam Wineburg sugere que seja realizada uma leitura horizontal do texto da postagem, isto é: abrir várias janelas no navegador na medida em que se depara com as informações que se encontra naquele texto, cruzando-as com outras fontes. Alguns historiadores também adicionam a necessidade de cotejar a informação encontrada em um fórum com livros, artigos e portais produzidos por historiadores profissionais.

Uma forma de qualificar a busca por conteúdos históricos de qualidade é entender qual é o objeto de interesse da comunidade do fórum. Quando falamos de fóruns de história, nos referimos a uma pluralidade muito grande de abordagens. Podemos encontrar fóruns que não definam um recorte específico ou que aceitam qualquer tipo de discussão, desde que ela seja sobre o passado, como ocorre nos fóruns da comunidade Pílulas de História, no site Quora. Em fóruns amplos como esse, pode ser mais difícil encontrar narrativas que tenham por base historiografia tradicional.  

Outra questão importante a se observar diz respeito a forma como o conteúdo histórico é apresentado. A história sempre é plural, isso é, há muitas interpretações históricas. Acontece que nem sempre essa pluralidade é contemplada nesses espaços. É comum encontrar fóruns em que uma questão histórica é abordada por apenas uma ou poucas perspectivas, o que leva ao perigo de uma história única ou sem tensões.

Dentro ainda desse quadro, é preciso estar atento a maneira como as questões são delimitadas. Há fóruns que estipulam que as discussões ocorram somente a partir de uma pergunta que problematize uma imagem. Uns têm uma proposta de discutir o passado de forma a se aproximar da história produzida nas Universidades, enquanto outros criam discussões humorísticas, com uma linguagem e postura mais informal, como ocorre na comunidade HistoryMemes, no Reddit.

Ao participar de fóruns de história, é preciso estar muito atento às regras. Como cada fórum tem um objetivo e uma maneira de abordar o passado, é fundamental dar atenção as regras que regem os debates. Apesar da primeira impressão dos fóruns ser um caos completo e absoluto de informação, um olhar cuidadoso mostrará que uma grande parte desses fóruns apresenta regras criadas pela comunidade. Essas normas estabelecem condutas básicas de comportamento no espaço: o que se pode discutir, como discutir.

De fato, uma frustração comum de quem começa a interagir nos fóruns de história é a queixa de que suas postagens não são respondidas ou são excluídas por moderadores. Alguns estudos, como aquele desenvolvido pelas pesquisadoras Barbara Hanna e Juliana de Nooy, sugerem que a ausência de comentários pode ser sintomática de sua natureza fora do padrão conforme o que é delimitado pelas regras da comunidade, como adotar um tom de formalidade e informalidade no discurso, e uso de opinião pessoal.

Como muitas comunidades fazem uso de ferramentas de avaliação em tempo real dos usuários (o equivalente ao “curtir” de muitos sites), as pessoas que não seguirem as regras correm o risco não apenas de terem suas discussões ignoradas, mas também avaliadas negativamente por outros membros da comunidade. Tais mecanismos, frequentemente controlados através da ação de algoritmos, podem vir a exercer uma grande influência sobre a forma como a história é escrita nos fóruns. Estaríamos diante de um quadro em que a história é produzida, avaliada e votada em tempo real, por um público amplo que envolve qualquer um que tenha interesse no passado.

Fóruns de história na Internet: cuidados e possibilidades 1
O “Ask Historians” é um exemplo de fórum de história. Ele funciona dentro da plataforma de fóruns Reedit.

É preciso, porém, cautela especial com os mecanismos de votação. Uma postagem com muitos votos a favor não significa, necessariamente, que esta é uma discussão histórica crítica e embasada em fontes. O sistema de votação não garante automaticamente a qualidade do debate. Ele pode ajudar, mas também pode levar a falsas conclusões.

Mas se os fóruns de história são espaços com uma estrutura aparentemente confusa, repleta de regras e com sistema de votações que nem sempre asseguram uma informação criteriosa, por que acessá-los e participar de suas discussões?

As possibilidades dos fóruns de história

O primeiro motivo para acessar e participar das discussões de um fórum de história é a possibilidade de encontrar um espaço capaz de reunir inúmeras discussões sobre os conteúdos mais diversos de história. Além da pluralidade de temas, os fóruns também são capazes de oferecer discussões sobre pontos muito específicos dessas temáticas, e podem realmente nos ajudar a encontrar conhecimento confiável e útil.

O ponto principal do fórum de história é viabilizar uma conversa entre pessoas com o mesmo interesse. Essa conversa não é nem tão instantânea, como no WhatsApp, por exemplo, e nem tão demorada como numa réplica a um artigo acadêmico, que pode ser inacessível a muitos leitores. Por essa razão e devido ao fato de que essa interação fica registrada e pode ser acessada mesmo por aquelas e aqueles que não desejam participar ativamente, os fóruns de história podem ser tão interessantes. A expectativa é a de acompanhar um debate sobre o passado, em que os participantes podem apresentar diversas posições diferentes, e ainda conseguir acessar essa discussão posteriormente para qualquer finalidade que seja: se informar, utilizar a informação nas aulas de história (no caso de professores), conhecer fontes históricas e dicas de obras historiográficas.

Na prática, o fórum de história é capaz de reunir e organizar uma comunidade de aficionados pelo passado. Essa comunidade, como vimos, pode ser composta pelos mais diversos perfis: historiadoras e historiadores profissionais, amadores, alunas e alunos de graduação e ensino médio, pesquisadoras e pesquisadores que desejam comentar suas pesquisas ou se distrair de suas leituras. Nesse espaço, abre-se a possibilidade de ser mais relevante o conteúdo. Contudo, é necessário considerar que, aos poucos, determinados participantes podem construir uma reputação dentro da comunidade, tendo em vista critérios que eventualmente envolvam a qualidade de sua participação ou outros elementos, como o domínio das regras e da estrutura do fórum.

Finalmente, os fóruns de história podem ser importantes para que se conheça como é construído o conhecimento histórico na web. Sua estrutura pressupõe um conjunto de elementos que mostra como o espaço digital pode promover formas particulares de contar histórias e convidar outras pessoas a ouvir através de práticas específicas. Logo, além de apresentar conteúdo de história gerado por usuários, os fóruns de discussão online permitiriam a proliferação de vozes alternativas àquelas que nos acostumamos a deparar em outros locais convencionais e institucionalizados – embora isso não necessariamente seja sinônimo de uma história melhor ou mais “autêntica”.

O encontro da pluralidade — de pessoas, interesses, perspectivas, técnicas, formas de pensar e escrever a história nos fóruns de discussão — pode apresentar um ambiente cheio de oportunidades para quem se interessa pelo passado e pelas maneiras como, hoje, optamos por falar dele num espaço como a Internet que, por vezes, parece ser tão hostil a construção de conhecimento.

Daniela Linkevicius de Andrade é doutoranda em História pela Universidade de Brasília (UnB). Pesquisadora na área de Teoria da História e História da Web, seus interesses visam compreender como o conhecimento histórico é produzido na web, a partir da análise de fóruns de discussão de história na plataforma Reddit.  

Refêrencias Bibliográficas

HANNA, Barbara E., NOOY, Juliana de. Learning language and culture via public internet discussion forums. Hampshire: Palgrave Macmillan, 2009

KIAN, Edward M. A Case Study on Message-Board and Media Framing of Gay Male Athletes on a Politically Liberal Web Site. In. International Journal of Sport Communication, 2015, 8, 500-518.

MORZY, Mikolaj. Internet Forums: What Knowledge can be Mined from Online Discussions. In. Knowledge Discovery Practices and Emerging Applications of Data Mining: Trends and New Domains. Org.A. V. Senthil Kumar. New York: Information Science Reference, 2011.

WINEBURG, Sam. Why Learn History (When It’s Already On Your Phone). Chicago: University of Chicago Press, 2018.

Como citar este artigo

ANDRADE, Daniela Linkevicius de. Fóruns de história na Internet: cuidados e possibilidades (Artigo). In: Café História. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/foruns-de-historia-na-internet-cuidados-e-possibilidades/. Publicado em: 8 fev. 2021. ISSN: 2674-5917.

Daniela Linkevicius

Doutoranda em História pela Universidade de Brasília (UnB). Pesquisadora na área de Teoria da História e História da Web, seus interesses visam compreender como o conhecimento histórico é produzido na World Wide Web, a partir da análise de fóruns de discussão de história na plataforma Reddit.

1 Comment

  1. Boa tarde, Daniela. Talvez o mais seguro seja sempre verificar se o perfil e a formação das pessoas que escrevem no fórum é verdadeiro ou não., não é mesmo? Pq se forem comentários de quem não é historiador e nem da área de humanas, é bom ficar de olho.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.