Enfrentamento do negacionismo histórico é tema de debate ao vivo na internet

Em segunda live promovida da editora contexto para promover o livro “Novos combates pela história”, os historiadores Carlos Fico, Marcos Napolitano e Jaime Pinsky examinam as narrativas que negam o passado histórico.

1
Negacionismo
Campo de Extermínio e Concentração de Auschwitz, Polônia. Foto: Peter 89ba - Pixabay.

Acontece nesta segunda-feira, 26 de abril, às 19h, a live “Como enfrentar o negacionismo”, com os historiadores Carlos Fico (UFRJ), Marcos Napolitano (USP) e Jaime Pinsky (USP). O encontro será transmitido online e gratuitamente via Facebook e YouTube. Não há necessidade de inscrição prévia para participar.

O debate é o segundo de um ciclo de lives organizado pela Editora Contexto para comemorar e promover o lançamento do livro “Novos combates pela história”, organizado por Jamie Pinsky e Carla Bassanezi Pinsky. De acordo com os organizadores, o conhecimento histórico passa por um momento turbulento: fake news, perseguições a professores, negacionismos, preconceitos e outras tantas violências. Leia aqui um trecho do livro, que já está em pré-venda no site da editora.

No livro, Marcos Napolitano é autor do capítulo “Negacionismo e revisionismo histórico no século XXI”, enquanto que Carlos Fico é autor de “Quem escreve a História: a qualificação do historiador”. Jaime Pinsky organiza a obra.

Desconto na compra do livro 

Para marcar o lançamento, “Novos combates pela História” estará com 30% de desconto para compras realizadas até o dia 5 de maio de 2021, através do cupom Combates30. Basta aplicar o código no campo “cupom de desconto” na página de finalização de compra e clicar em “Adicionar”. Mas atenção: o campo para inserir o cupom só aparece na fase de pagamento. O benefício não é cumulativo com outras promoções e descontos.

Bruno Leal

Fundador e editor do Café História. É professor adjunto de História Contemporânea do Departamento de História da Universidade de Brasília (UnB). Doutor em História Social. Tem pós-doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisa História Pública, História Digital e Divulgação Científica. Também desenvolve pesquisas sobre crimes nazistas e justiça no pós-guerra.

1 Comment

  1. Uma pena que num país onde cada vez mais é desestimulada a leitura, esse tema tão atual só será absorvido por pessoas que querem conhecer mais profundamente o assunto; serão pessoas que não são negacionistas.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.