Hemeroteca Digital e outros sites da Biblioteca Nacional estão novamente no ar

Duas semanas após um ataque hacker, diversos sites da Biblioteca Nacional estão novamente acessíveis. Hemeroteca Digital Brasileira é um deles. Usuários relatam, contudo, que nem tudo foi retomado.

3
Vista aérea da Biblioteca Nacional, no centro do Rio de Janeiro. Foto: Wikipédia.

A semana começa com uma boa notícia para pesquisadores e todos com interesse em cultura: a Biblioteca Nacional acaba de anunciar em seu perfil no Twitter o retorno de vários de seus sites, alvos de ataque cibernético há quinze dias. Entre os sites que retornam ao funcionamento estão o da página institucional da Biblioteca e o da Hemeroteca Digital Brasileira, que disponibiliza centenas de jornais e revistas antigos. A interrupção deste e de outros sistemas da BN interromperam pesquisas históricas em todo o Brasil e no exterior, além de congelar serviços fundamentais oferecidos pela instituição, que tem sede no Rio de Janeiro.

O ataque à rede da Biblioteca Nacional aconteceu no dia 11 de abril. Conforme noticiado pela imprensa, os hackers, ainda não identificados, fizeram um ataque ransomware. Esse tipo de ataque “sequestra” o conteúdo de um site e exige um resgate, em geral, em criptomoedas, para devolver o material. O crime está sendo investigado.  

O reestabelecimento dos sites, contudo, não ocorreu integralmente. No Twitter, usuários notaram que alguns sites mantidos pela instituição não voltaram ao ar de forma plena. É o caso do “Projeto Resgate”. O Café História tentou pesquisar no site do projeto e a biblioteca do mesmo não pôde ser encontrada. Mas é possível que isso tenha a ver com um cronograma de segurança definido pela instituição, que no último dia 21 divulgou uma nota informando que iniciaria um “retorno gradual” do seu servidor.

Bruno Leal

Fundador e editor do Café História. É professor adjunto de História Contemporânea do Departamento de História da Universidade de Brasília (UnB). Doutor em História Social. Tem pós-doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisa História Pública, História Digital e Divulgação Científica. Também desenvolve pesquisas sobre crimes nazistas e justiça no pós-guerra.

3 Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.