Revolução Russa é tema de exposição virtual da Biblioteca Britânica

“Revolução Russa: Esperança, Tragédia, Mitos” é uma versão resumida de elogiada exposição que acontece até o final de agosto em Londres.

Bruno Leal | Agência Café História

“Da queda do último Tzar da Rússia até o surgimento do primeiro Estado comunista, esta exposição definitiva traz um olhar renovado sobre a Revolução Russa 100 anos depois”. São com essas palavras que a curadoria da Biblioteca Britânica define a exposição “Revolução Russa: Esperança, Tragédia, Mitos”, realizada até o final de agosto em Londres, mas que também tem a sua versão virtual. A definição dos curadores é justa e precisa: a exibição traz, afinal de contas, itens raramente vistos de ambos os lados do conflito, como, por exemplo, uma primeira edição do Manifesto Comunista até a propaganda antibolchevique.

Revolucao-Russa
Cartaz usado no convite da exposição. Imagem: British Library.

A exposição que está na internet não é muito volumosa, mas traz olhares apurados de diversos especialistas. Katie McElvanney explora como os eventos da Revolução Russa e das guerras civis foram relatados na Rússia e no exterior e como a imprensa foi usada para informar, persuadir ou mesmo reprimir as massas. Katya Rogatchevskaia, curadora principal de coleções da Europa Oriental na Biblioteca Britânica, discute as várias formas de propaganda em circulação durante a Revolução Russa.

Mike Carey analisa as ideologias de violência e práticas violentas que conduziram até a Revolução  e a guerra civil. E Katie McElvanney explora como a vida das mulheres mudou durante a Revolução Russa, rastreando a história das revolucionárias femininas na Rússia e as diferentes maneiras pelas quais as mulheres documentaram e participaram de eventos.

Além disso, a exposição virtual também inclui uma linha do tempo detalhada da Revolução Russa, muitas fotos de época, pinturas, propagandas, cartazes  raros e que são verdadeiras obras de arte e diversos posts especiais publicados no blog especial da Biblioteca Britânica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*