Doutorando em História é finalista de concurso de comunicação científica

Max Fabiano Rodrigues de Oliveira (UFRRJ) terá o desafio de apresentar sua pesquisa em até seis minutos para uma plateia de leigos.

Bruno Leal | Agência Café História

O historiador Max Fabiano Rodrigues de Oliveira, doutorando em História na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, é um dos finalistas do EURAXESS Science Slam Brazil 2017, concurso nacional de comunicação científica. O evento consiste em curtas apresentações de seis minutos nas quais pesquisadores acadêmicos explicam o seu trabalho para uma audiência de não especialistas. O foco do EURAXESS Science Slam Brazil é fazer com que o grande público se envolva mais diretamente com o conhecimento científico de uma forma fácil e descontraída.

UFRRJ-Historia
Max Fabiano Rodrigues de Oliveira é doutorando em História pela UFRRJ. Foto: Bruno Leal.

Oliveira, que também é ator, é orientado pelo professor Álvaro Pereira do Nascimento e sua pesquisa se insere nas temáticas de história agrária e pós-abolição. Sua tese tem o título temporário de “Do café à policultura: Fazendeiros, lavradores foreiros e as transformações na estrutura fundiária de São Francisco Xavier de Itaguaí”. Sua apresentação no final da competição será uma cena teatral na qual ele interpretará vários personagens históricos. Em conversa com o Café História, Oliveira falou sobre a importância de um projeto como o EURAXESS Science Slam Brazil:

– Sempre falamos que a academia está muito distante da sociedade, que o conhecimento normalmente não é compartilhado além dos muros das universidades. Portanto, apresentar nosso trabalho de forma criativa, interessante, dinâmica, pode ajudar a despertar o interesse de pessoas que não estão habituadas com o ambiente acadêmico. Eu sempre fico incomodado quando penso em como nós historiadores estamos muito preocupados em produzir artigos acadêmicos que quase ninguém vai ler e isso é uma realidade que precisamos encarar, por mais relevante que seja produzir para a academia. Mas, acredito que não nos preocupamos com algo fundamental que é pensar em uma forma de tornar esses textos mais interessantes para as pessoas que não fazem parte do meio acadêmico. De que maneira posso tornar a minha pesquisa pública? Entendo que os artigos científicos são produzidos em uma linguagem específica, escrita para os pares, tudo bem, o problema é que quase sempre não fazemos mais nada além disso. Há uma necessidade de ficar produzindo artigos, contando pontos no Lattes. Fica uma produção excessiva e isso, não necessariamente, corresponde à qualidade. E se você tenta fugir dessa lógica, você é punido de alguma forma.

Evento aberto ao público

A etapa final do concurso é aberta ao público e acontece no dia 25 de outubro de 2017, das 19h às 22h, no Consulado da Itália, no Rio de Janeiro – o voto popular poderá ser decisivo para a definição do vencedor. Para fazer sua inscrição, o site do evento.

Outros quatro pesquisadores de diferentes áreas também estão na final ao lado de Oliveira. O vencedor ganhará uma viagem à Europa em 2018 e uma visita a um instituto europeu de pesquisa de sua escolha. Os cinco finalistas foram selecionados a partir de mais de 100 candidaturas de 11 estados do Brasil.


Como citar essa notícia

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Doutorando em História é finalista de concurso de comunicação científica (Notícia). In: Café História – história feita com cliques. Disponível em:  https://www.cafehistoria.com.br/doutorando-na-final/.‎ Publicado em: 13 out. 2017. Acesso: [informar data].

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*