Dicas de livros: março de 2016

Maus – História Completa | Art Spiegelman | Companhia das Letras | 2015 | 296 pp.

Dicas de livros: março de 2016 1A Companhia das Letras acaba de lançar mais uma reimpressão, a 24o, do clássico “Maus – História Completa”, do ilustrador e cartunista Art Spiegelman. A longevidade da obra, que apareceu pela primeira de forma embrionária, nos anos 1980, nos Estados Unidos, se justifica: através de uma narrativa inovadora, Spiegelman conta a história das atrocidades nazistas, principalmente os campos de concentração, a partir de personagens animalizados – os judeus são representados por ratos (em alemão, “Maus”), os alemães são gatos, os franceses, sapos, os poloneses, porcos, os americanos, cachorros, os suecos, renas, os ciganos, traças, os ingleses, peixes. Lançar mão do artifício do antropomorfismo é uma ironia do autor frente a propaganda nazista, que associava seus “inimigos”, internos e externos, a animais, numa tentativa de diminuir sua humanidade. Spiegelman, nascido na Suécia, em 1948, era filho de Vladek e Anja Spiegelman, sobreviventes de Auschwitz. Anja, que cometeu suicídio anos depois da libertação do campo, foi uma das inspirações de Art na elaboração de seus personagens. A obra foi internacionalmente reconhecida por seus valor ético, artístico e crítico, sendo agraciada com vários prêmios, como um Pulitzer especial, em 1992. Segundo bem resume o jornal Independent, “Maus memorializa a experiência do Holocausto vivida pelo pai de Spiegelman, Vladek. Acompanha sua história, quadro a quadro, desde a juventude e o casamento na Polônia de antes da guerra até o confinamento em Auschwitz. A história de um sobrevivente criada por Spiegelman é crua e sem embelezamentos”. Mais informações, clique aqui.

Seis Meses em 1945 | Michael Dobbs | Companhia Das Letras | 2015 | 493 pp.

Dicas de livros: março de 2016 2A Companhia das Letras acertou em cheio ao publicar no Brasil o livro “Seis Meses em 1945”. O livro, que chegou ao país no final do ano passado, ano em que o se comemorou os setenta anos do fim da Segunda Guerra Mundial”, foi escrito por Michael Dobbs, historiador e jornalista pela Universidade de Princeton e Harvard, antigo correspondente internacional do jornal Washington Post. Em “Seis meses em 1945”, Dobbs cobre um período crítico da história contemporânea: fevereiro a agosto de 1945, o período entre a Conferência de Yalta e o bombardeio de Hiroshima. É neste curto período em que pela primeira vez vamos ver as linhas mestras que vão em muito breve delinear a Guerra Fria. Com as potências do Eixo derrotadas e o Reino Unido enfraquecido, Estados Unidos e União Soviética vão começar a duelar como as duas superpotências do mundo que em logo iria se erguer a parir do fim da guerra. As negociações, a disputa pelo espólio nazista, a punição aos criminosos de guerra nazistas, o posicionamento de tropas e a divisão da Alemanha, mais do que meros debates militares, vão assumir grande relevância na agenda desses dois países, já mirando em sua futura proeminência na Europa e Ásia. Para saber mais sobre esse lançamento, inclusive, ler um capítulo completo do livro, clique aqui.

Bruno Leal

Fundador e editor do Café História. É professor adjunto de História Contemporânea do Departamento de História da Universidade de Brasília (UnB). Doutor em História Social. Tem pós-doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisa História Pública, História Digital e Divulgação Científica. Também desenvolve pesquisas sobre crimes nazistas e justiça no pós-guerra.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.