Saiba como ter acesso ao site desativado da Revista de História da Biblioteca Nacional

Site foi desativado há alguns meses, mas nós sabemos como acessar seu conteúdo.

Bruno Leal | Agência Café História

A crise financeira foi implacável para a mais importante experiência de popularização de história no Brasil. Há pouco mais de um ano, a Revista de História da Biblioteca Nacional (RHBN) deixou de circular nas bancas. E há alguns meses, um golpe ainda maior: o site da revista saiu do ar – aparentemente, de forma definitiva. Mas nem tudo parece perdido. Existe uma maneira bem fácil de acessar o conteúdo do site da revista.

Trata-se da ferramenta WayBack Machine, um enorme arquivo digital criado por uma organização sem fins lucrativos chamada Internet Archive. Ela arquiva atualmente mais de 475 bilhões de páginas da internet, desde 1996. Em outras palavras, o serviço permite aos usuários visualizar versões de páginas de um determinado site mesmo que ele tenha saído do ar. Basta acessar o site da ferramenta e inserir no campo de busca o endereço eletrônico da RHBN: revistadehistoria.com.br. Pronto, você já pode voltar a navegar entre artigos e entrevistas. O serviço de recuperação do serviço é bastante satisfatório. As imagens nem sempre são recuperadas, mas os textos são arquivados perfeitamente.

RHBN
Site da RHBN traz vários conteúdos de qualidade.

3 Comentário

  1. O site indicado para pesquisa da publicação da BN é repleto da falhas, péssimo mesmo! Registra a publicação da revista de dezembro de 2006 até mais ou menos o mês de maio de 2007, e sem possibilidade alguma de acesso ao link correspondente. E as que tem link que você pode clicar, o site anuncia que não dispõe a publicação arquivada!

    • Oi, Juliano. Tudo bem? Obrigado pelo comentário! Muito provavelmente você está utilizando o serviço de forma errada. O Way Back Machine salvou o site da revista 280 vezes entre 2 de setembro de 2006 e 4 de fevereiro de 2017. O serviço, naturalmente, não é perfeito, mas é bem melhor do que você está sublinhando. Dá uma explorada com calma.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*