Avaliação de artigos acadêmicos: como estruturar um bom parecer

Todo artigo científico passa pela revisão de um ou mais especialistas da área antes de ser publicado. Jo Wilkinson conversou com pesquisadores sobre como garantir um parecer criterioso e aprofundado. As respostas foram compiladas numa proposta de 12 passos descrita a seguir.

Por Jo Wilkinson (LSE Impact Blog)

Tradução de Bruno Leal e Ana Paula Tavares

Escrever pareceres de artigos científicos não é uma tarefa qualquer. Ao fazê-lo, você é responsável por proteger o público de descobertas falsas ou enganosas, além de ajudar a divulgar avanços legítimos realizados na sua área. Você também é obrigado a criticar de forma construtiva a pesquisa de outros pesquisadores, que dedicaram muito esforço – sangue, suor, lágrimas e anos – para reunir todas as informações e fazer as análises que constam no texto.

Isso significa que, infelizmente, fazer um parecer é um pouco mais complicado do que usar “a caneta vermelha” para apontar os erros.

 

No entanto, elaborar um parecer acadêmico não precisa ser algo difícil ou algo que vai lhe provocar um ataque de nervos –  e nem deixar você com a sensação de que está condenado a falhar. Na verdade, a elaboração do parecer de um artigo acadêmico pode ser um processo estruturado, um processo que você pode aprender e melhorar. Com o tempo, você se tornará mais rápido e mais confiante. E mais: você vai se beneficiar do processo.

Avaliações deste tipo não só ajudam a manter a qualidade e integridade da produção publicada do seu campo de conhecimento, como são fundamentais para o seu próprio desenvolvimento como pesquisador. Escrever um parecer é uma ótima maneira de se manter a par das pesquisas mais recentes, de impressionar os editores das revistas mais importantes e de aprimorar sua análise crítica. A prática permite aprender também como revisar um manuscrito, detectar erros recorrentes nos artigos e melhorar suas chances de ser bem-sucedido em seu trabalho autoral.

Para aproveitar ao máximo o que esse processo pode oferecer, você deverá ter em mente algumas dicas e técnicas. Aqui é onde entramos. Nós pedimos a um grupo de experientes pesquisadores acadêmicos que nos contasse quais etapas eles costumam seguir ao elaborar um parece para um periódico científico. Em seguida, compilamos seus conselhos em 12 passos, que podem ser úteis tanto para os revisores de primeira viagem como para aqueles que já são experientes, mas que desejam aprimorar suas habilidades.

parecer-academico
Escrever o parecer de um artigo acadêmico é uma tarefa de grande responsabilidade. Foto: Pixabay.

Somados, os especialistas que consultamos possuem mais de 577 pareceres pré-publicação para 101 revistas diferentes e participam de sete conselhos editoriais. Eles incluem nomes como o de Ana Marie Florea, Cientista Sênior do Instituto de Neuropatologia da Heinrich-Heine-Universität Düsseldorf, James Cotter, fisiologista e professor associado da Escola de Educação Física da Universidade de Otago, e Robert Faff, professor de finanças e diretor de pesquisa da Universidade de Queensland.

É importante sublinhar que cada etapa desse “passo a passo” poderia ser discutida em um post exclusivo. Se você quiser uma imagem mais completa de como elaborar pareceres acadêmicos e usar o nosso modelo de revisão, inscreva-se para o Academia Publons, curso gratuito e on-demand que ensina as competências essenciais da revisão por pares e o conecta com editores de publicações científicas para que você possa colocar suas habilidades em prática.

12 passos para lhe ajudar a escrever um parecer acadêmico

  1. Certifique-se de ter a expertise adequada (Este artigo propõe 5 perguntas para autorreflexão: 1. Eu tenho preconceito relacionados ao perfil do pesquisador ou tópico de pesquisa?; 2. Há conflitos de interesse em questão?; 3. Eu tenho o conhecimento necessário para essa avaliação?; 4. Posso garantir a confidencialidade do processo de avaliação e quanto à pesquisa em questão?; 5. Eu consigo ser justo, respeitoso e fazer críticas construtivas ao material em análise?);
  2. Acesse a página do periódico em questão para conhecer as normas editoriais específicas para os pareceristas. Verifique se o artigo em avaliação está no formato do periódico e se as referências estão padronizadas (se o editor já não fez isso).
  3. Faça uma leitura bastante rápida do artigo para obter uma visão geral dele. Sublinhe as palavras-chave e os seus argumentos. Resuma os principais pontos. Isso vai lhe ajudar na segunda leitura.
  4. Sente-se em um lugar quieto e faça uma leitura crítica do manuscrito (dica de leitura: Como fazer leitura crítica de um manuscrito?, somente em inglês). Confira se todas as tabelas, imagens e referências estão presentes no texto. Faça algumas perguntas importantes: o artigo tem um título relevante e uma boa questão de pesquisa? Os principais documentos estão indicados? Qual é a motivação do autor para o estudo e a ideia por trás dele? Os dados e as ferramentas são adequados? O que o autor traz de novo? Por que o artigo é importante? Há outras considerações a fazer?
  5. Indique as alterações que o autor precisa fazer: as grandes, as médias e as pequenas.
  6. Crie uma lista de itens que precisam ser checados. Por exemplo, os estudos mencionados realmente comprovam o que o artigo defende?
  7. Avalie a linguagem e a gramática. Certifique-se de que estão de acordo com o perfil do periódico. O artigo possui uma leitura fluida – ele tem coesão textual? O texto possui clareza – as palavras e a estrutura são concisas e eficazes?
  8. Verifique se os resultados presentes no artigo já não foram publicados pelo (s) autor (es) em outra publicação ou até mesmo por outros autores.
  9. Confira se não há erros (Confira neste artigo, em inglês, o detalhamento de seis erros comuns em manuscritos: 1. Metodologia inapropriada para o objetivo do estudo; 2. Desvio das melhores práticas e metodologias da área; 3. Interpretação inadequada dos resultados; 4. Comentários e afirmações que extrapolam o escopo da pesquisa ou artigo; 5. Falta de evidências para embasar as conclusões; 6. Falta de concisão)
  10. Faça um resumo da sua avaliação para o editor do periódico (visão geral, contribuições, pontos fortes e fracos, aceitabilidade). Para o autor, você pode incluir a contribuição do artigo/contexto do manuscrito para os autores (apenas para esclarecer se você vê isso de forma semelhante ou não) e, em seguida, indicar e priorizar as alterações que precisam ser feitas, tanto as maiores como as menores. Tente compilar tudo isso de forma lógica, agrupando coisas semelhantes sob um mesmo título sempre que possível e numerando-as para facilitar uma fácil compreensão por parte do autor.
  11. Indique alterações específicas no texto, a fim de que os autores possam fazê-las com clareza. No total, o parecer deve ter em torno de duas a três páginas (quatro no máximo).
  12. Dê a sua recomendação ao editor.

Pronto. Trabalho feito.

Esperamos que estes 12 passos o ajudem no seu caminho para escrever seu primeiro parecer ou melhorar a estrutura de seus pareceres. E lembre-se: se você quiser aprofundar suas habilidades de revisor de artigos, inscreva-se no curso Academia Publons.


Jo Wilkinson é Gerente de Comunicação na Publons. empresa registrada na Nova Zelândia e Reino Unido. Fundada em 2012 por Andrew Preston e Daniel Johnston, é especializada em pareceres de artigos científicos.


Como citar esse artigo

WILKINSON, Jo. Avaliação de artigos acadêmicos: como estruturar um bom parecer (Artigo). Tradução de Ana Paula Tavares Teixeira e Bruno Leal Pastor de Carvalho. In: Café História – história feita com cliques. Disponível em: http://www.cafehistoria.com.br/pareceres-academicos. Publicado em: 21 Ago. 2017. Acesso: [informar data].

Este texto foi publicado originalmente no blog do departamento de Desenvolvimento Internacional da LSE – autorizado para reprodução e alteração, conforme classificação Creative Commons.

1 Trackback / Pingback

  1. Os tempos de Charlottesville: uma história norte-americana

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*