Historiadores disponibilizam livro que emprega mapas para visualizar a história

“O Retorno dos Mapas: Sistemas de informação Geográfica em História” pode ser baixado gratuitamente.

Agência Café História

Publicado pela editora Ladeira Livros, a obra é organizada por dois historiadores: Carlos Valencia, Professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (Campus Campos), e Tiago Gil, Professor do Departamento de História da Universidade de Brasília. Seus 15 artigos são distribuídos igualmente em cinco partes: (I) “Geoprocessamento de extensões de terras: as sesmarias e os sertões coloniais; (II) Visualização de interações sociais nos alvores da modernidade; (III) Modelos de densidade e representação de inferências nas incertezas do passado; (IV) Explicações de localização de vias e percursos: dos caminhos às ferrovias; (V) Georreferenciamento dos indivíduos nas cidades da América Latina da Colônia à República. Clique aqui para baixá-lo gratuitamente.

Mapa-Antigo
Livro (re)aproxima a História da Geografia. Foto: Pixabay.

Vários temas são explorados no livro. Marcelo Werner da Silva, por exemplo, analisa a construção de ferrovias no Oeste Paulista, na segunda metade do século XIX, para explicar como a concorrência entre as companhias ferroviárias pelo transporte do café foi definindo o percurso das linhas. Já Cristiane Miyasaka, debruça-se sobre a última década do século XIX e a primeira do XX para localizar e analisar os conflitos entre indivíduos no bairro de Inhaúma, subúrbio do Rio de Janeiro e, assim, propor a influência dos padrões diferenciados de vizinhança nos tipos de conflitos em que se envolviam os indivíduos.

Segundo sublinham os organizadores do livro: “este livro apresenta o retorno dos mapas, todos eles diferentes e produzidos segundo as necessidades de cada pesquisa, o que significa, em outras palavras, que nenhum deles foi feito para ilustrar: todos foram construídos como ferramentas de trabalho, são insumo e produto da pesquisa dos historiadores que, sem dúvida, permitem avanços no conhecimento das sociedades do passado”.

5 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*