Professor de História inova ao levar alunos do ensino básico para vinícolas

Projeto “História & Vitivinicultura”, coordenado pelo professor Gil Karlos Ferri, conecta três áreas de aprendizagem: economia, turismo e História Ambiental.

Por Bruno Leal | Agência Café História

Uma iniciativa pioneira está inovando no ensino de História em Anita Garibaldi, município de Santa Catarina com pouco mais de 8 mil habitantes. Trata-se do projeto “História & Vitivinicultura”, através do qual os alunos do Ensino Fundamental da Escola de Educação Básica Padre Antônio Vieira estão conhecendo as vinícolas do Estado e aprendendo de maneira dinâmica. O projeto é desenvolvido desde 2015 pelo professor e historiador Gil Karlos Ferri – atualmente mestrando na Universidade Federal da Fronteira Sul de Chapecó – e conta com o apoio dos empresários do setor vitivinícola da região.

Vinicola Villaggio Bassetti
Professor e alunos na Vinícola Villaggio Bassetti em São Joaquim, Santa Catarina. Foto: Silvio Silveira Filho.

As saídas a campo compõem uma metodologia de ensino dinâmica, através da qual os alunos podem compreender diversos temas da disciplina de História. Durante a visita guiada às vinícolas, o professor, os proprietários e os enólogos contextualizam a produção do vinho através das diferentes sociedades e períodos, bem como trazem à tona a história da região onde o empreendimento está inserido, seus impactos socioambientais etc. (confira o artigo do Café História sobre História Ambiental). Os alunos também aprendem conceitos de economia agrícola e turismo, setores tradicionais e com alto potencial no estado de Santa Catarina. Após cada visita, que dura mais ou menos uma tarde, os alunos produzem um relatório no qual apresentam suas observações e aprendizados adquiridos durante a atividade extraclasse.

Villaggio Bassetti
Visita guiada a vinícola Villaggio Bassetti em São Joaquim, Santa Catarina. Foto: Maisa Borges de Freitas.

De acordo com Ferri, o ensino de História precisa ser dinâmico, atrativo e fazer sentido para a vida dos estudantes. Em conversa com o Café História, ele sublinhou:

 – Acredito que a História seja, por excelência, uma disciplina dinâmica e envolvente; logo, seu ensino escolar precisa estar em sintonia com o que há de mais atrativo e significativo, do ponto de vista pedagógico e cidadão. A realização de saídas a campo é fundamental para ampliar os horizontes do saber através do que eu chamo de ‘aprendizado de experiência’. O projeto História & Vitivinicultura representa uma oportunidade a mais para impulsionar os alunos a uma postura mais crítica e emancipatória.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*