Estudantes de história desenvolvem projeto audiovisual sobre a ditadura militar

“Desmistificando a Ditadura” foi criado por alunos e alunas do curso de história da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Por Bruno Leal | Agência Café História

Instigados por debates sobre a divulgação do conhecimento histórico, história digital e história pública, alunos e alunas do curso de história da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) desenvolveram o projeto “Desmistificando a ditadura”, onde produziram vídeos que apresentam contraposições a sensos comuns e versões sobre a ditadura civil-militar construídas a partir de experiências muito particulares ou memórias de grupos sociais específicos. Veja, abaixo, um desses vídeos:

Autores: Carlos Maurício Cabral, Christian Arend Kremer, Gabrielle Marques Neves, Guilherme Soares, Gustavo Ziel Boldori, Letícia Wickert Fernandes, Natália da Silva Mano, Rafael Dalla Corte.

O projeto foi coordenado pela professora da disciplina História do Brasil IV, a historiadora Caroline Silveira Bauer, no primeiro semestre de 2017. Segundo Bauer, “os avanços historiográficos dos últimos anos têm permitido desconstruir esses discursos, e, através desse projeto, divulgando esses vídeos no Youtube, pensou-se em fornecer contrapontos a partir de argumentos qualificados e embasados em pesquisas bibliográfica e empírica”.

Os vídeos podem ser vistos no canal “Falando da Ditadura”. Há curta metragens, depoimentos e filmes, dentre outros gêneros audiovisuais. O projeto faz parte das iniciativas do Laboratório de Estudos sobre os Usos Políticos do Passado (LUPPA), que visa contribuir com os debates e a divulgação e circulação do conhecimento histórico na sociedade.

Clique aqui para conhecer outros projetos sobre ditadura militar desenvolvidos por Caroline Silveira Bauer.

6 Comentário

  1. Acho que vocês poderiam ter feito um trabalho semelhante, tentando explicar o que estava por trás dos sucessivos favorecimentos pelos governos do PT às grandes empreiteiras e grupos empresariais como a JBS.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*